Click na imagem para acessar o site

Click na imagem para acessar o site
click na imagem para acessar o site
"Trabalhadores e trabalhadoras, uni-vos contra a tirania, mas uni-vos sobretudo contra a inércia que se torna coadjuvante da opressão"

Vladimir Maiakovski - operário, poeta e revolucionário soviético.



sexta-feira, 30 de setembro de 2011

AGROTÓXICOS: LIVRO CONTA O QUE A MÍDIA ESCONDE.

Campanha Contra os Agrotóxicos ganha mais um importante instrumento na luta pela informação

por Alan Tygel e Eduardo Sá

“O livro faz caminhar da indignação para a digna-ação. Não queremos ouvir de novo em 2012 que o Brasil é o campeão dos agrotóxicos. O livro tem o papel de contaminar as pessoas com o desejo de que isso não se repita.”

Flávia Londres. Foto: Bernardo Vaz, da Aicós Culturas

Foi lançado na última quarta-feira (27) o livro “Agrotóxicos no Brasil – um guia para ação em defesa da vida”, de Flávia Londres. O lançamento ocorreu no Encontro de Diálogos e Convergências, que reuniu militantes dos movimentos de agroecologia, economia solidária, feminismo, saúde coletiva e justiça ambiental, nesta semana em Salvador.

O livro é uma iniciativa da Articulação Nacional de Agroecologia (ANA) e da Rede Brasileira de Justiça Ambiental (RBJA). Segundo a autora, percebeu-se uma demanda por um material que sistematizasse de maneira mais completa e profunda a questão dos agrotóxicos no Brasil. A ideia é também subsidiar a luta na ponta por quem está vivendo e lutando no dia a dia contra os agrotóxicos. “No momento em que vemos chuva de agrotóxicos, contaminação da água, dos próprios trabalhadores, precisamos de um instrumento para subsidiar a carência de informações: o que é permitido? Como faço denúncia? O que devo esperar das autoridades?”, diz Flávia.

Antes do lançamento foi promovido um ato com uma mística baseada na música composta pela Unidos da Lona Preta para o carnaval deste ano: “Comida ruim ninguém aguenta, é a Syngenta/É veneno em todo canto, é a Monsanto/ Mata gente e mata rio, é a Cargil/ Agronegócio a mentira do Brasil”. Na ocasião também foi lido o cordel contra os agrotóxicos.

Raquel Rigotto, Flávia Londres, Fernando Carneiro, Luiz Cláudio Meirelles, Pedro Serafim e Gabriel Sollero

A mesa de debate foi composta por figuras importantes na luta que está sendo travada contra os agrotóxicos. Segundo Fernando Carneiro, professor da UnB que mediou a mesa, o livro chega em um momento histórico: “Vivemos por muito tempo uma total ausência de materiais informando os riscos dos agrotóxicos. A informação sempre foi colocada pelo agronegócio. O livro chega como uma resposta da sociedade civil à falta de compromisso dos órgãos públicos em informar e fiscalizar os agrotóxicos.”

Fernando ainda disse que o livro deve servir como guia para líderes comunitários, professores, extensionistas rurais e todos os que de alguma maneira lidam com a questão dos agrotóxicos. “É um exemplo prático de diálogos e convergências, convergindo para a mudança do modelo de desenvolvimento.” E finalizou: “A saúde de um população é um termômetro do modelo de desenvolvimento; se ela vai mal, modelo não está se sustentando. E isso livro traduz muito bem”

“Nós somos responsáveis pela autorização de agrotóxicos. Temos clareza de que queremos acabar com esse trabalho um dia.”, afirmou Luiz Cláudio Meirelles, coordenador de toxicologia da ANVISA. Ele agradeceu a homenagem dizendo que se está sentando nesta mesa, é o porque o trabalho está indo na direção certa. Mas alertou que o seu papel não tem nada de especial, porque está na lei. “Atuamos evitando o lobbie das empresas, ao contrário de muitas agências reguladoras que atendem ao interesses dos regulados, o que é um equívoco grave”. Ele e sua colega, Letícia Silva, que estava presente, vêm sofrendo diversos ataques da indústria dos agrotóxicos, por lutarem pela reavaliação e banimento de substâncias. Ele finalizou dizendo que pretende usar o livro como instrumento para as vigilâncias sanitárias regionais e municipais.

Pedro Serafim, do Ministério Público, exaltou o trabalho vindo da sociedade para cumprir uma lacuna do setor público, na promoção do direito à informação. Ele ressaltou que muitas vezes falta aos próprios especialistas em direito o conhecimento sobre a questão dos agrotóxicos e afirmou que vai distribuir o livro para os coordenadores do Ministério Público.

A fala mais contundente da noite foi da professora da Universidade Federal do Ceará (UFCE), Raquel Rigotto. Ela afirmou que a falta de informação viabiliza os abusos que ocorrem com os agrotóxicos: “O câncer, o agrotóxico no leite materno, na água da chuva, a má formação congênita, a contaminação dos rios, o aborto, Flávia mostra todos esses problemas. O livro levanta informações e caminhos na luta contra os agrotóxicos.”

A professora ressaltou o direito de saber. Segundo ela, nessa dimensão, o livro é promotor de justiça ambiental, trazendo informação útil, caminhos técnicos legais e de luta para superarmos o modelo baseado nos agrotóxicos. Para finalizar, Raquel Rigotto deu uma sugestão que já está ganhando coro: “Diante de um quadro nacional em que se discute como financiar o Sistema Único de Saúde, temos os agrotóxicos com isenção total de impostos: ICMS, IPI, PIS/PASEP e Cofins. Vamos suspender essa isenção e financiar a saúde pública, gratuita e de qualidade. Vamos disseminar o livro pra que ano que vem não tenhamos que ouvir que somos de novo os campeões dos agrotóxicos”, finalizou.

Não foi coincidência o livro sair num momento de auge da Campanha Contra os Agrotóxicos e pela Vida, afirmou Gabriel Sollero, militante do MAB e representante da coordenação nacional da Campanha Contra os Agrotóxicos. “Há um tempo temos construído o substrato para se formar a campanha, e hoje ganhamos mais um instrumento fundamental nessa luta, ao lado do documentário do Sílvio Tendler”. De acordo com Sollero, o livro toca em pautas fundamentais da campanha: rotulagem, propaganda, proibição de substâncias já proibidas em outros países, fiscalização no Ministério do Trabalho, isenção fiscal, e, sobretudo, a luta contra os agrotóxicos como uma luta unificadora no caminho para um outro modelo de desenvolvimento.

A autora recebe uma homenagem da Campanha Contra

os Agrotóxicos e Pela Vida


O militante afirmou ainda que em novembro a campanha deixa de ser nacional e fica ampliada para a América Latina. Ele forneceu um panorama da campanha, afirmando que estamos passando da fase de criação dos comitês locais para o momento de sua consolidação, ganhando maior organicidade em cima de quatro eixos: pautar a questão dos agrotóxicos junto à sociedade; promover uma agricultura sem agrotóxicos; trabalhar com profissionais de saúde e educação; e propor projetos de lei que combatam o uso dos venenos.

Animados pelo grito “Na luta em defesa da vida, por um Brasil sem Agrotóxicos”, os participantes saíram do lançamento com a certeza de que precisamos seguir firmes na luta pelo fim dos agrotóxicos, em favor de um modelo de desenvolvimento rural que não seja dominado pelas grandes empresas, e que seja voltado para a saúde do trabalhador e do consumidor na produção de alimentos saudáveis para todas e todos.

O livro está disponível gratuitamente na internet pelo site da AS-PTA: Agrotóxicos no Brasil

terça-feira, 27 de setembro de 2011

BIG FRANGO: NO PARANÁ EMPRESA FECHA VIA PÚBLICA PARA IMPEDIR ACESSO DE SINDICALISTAS AOS SEUS FUNCIONÁRIOS.






EMPRESA BIG FRANGO MONTA TÁTICA DE GUERRA PARA BARRAR CAMPANHA PELA APROVAÇÃO DA NR DOS FRIGORÍFICOS

A empresa Big Frango situada no município de Rolândia (PR) chegou a fechar via pública com carretas para impedir sindicalistas de distribuírem material sobre a importância da aprovação da NR aos seus funcionários.


Rui Amaro Gil Marques
Assessoria de Comunicação da FTIA PR e sindicatos.
De Rolândia, região norte do Paraná.


Diretores da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação do Paraná (FTIA) e dos seus sindicatos filiados tiveram nesta terça-feira (27) uma surpresa quando se dirigiam para a empresa Big Frango na cidade de Rolândia, norte do estado.

Ao chegarem no frigorífico, que é um dos maiores da região, foram impedidos de atravessar uma via publica que dá acesso aos portões da empresa. Os cerca de 35 dirigentes sindicais se depararam com 03 carretas da empresa barrando a passagem.

A iniciativa partiu do gerente administro da Big Frango na tentativa de impedir que os sindicalistas distribuíssem material informativo a respeito da importância da NR dos frigoríficos aos seus 5 mil funcionários. Além das carretas barrando a via pública também estavam esperando os sindicalistas alguns seguranças a paisana que ameaçaram agredir alguns diretores da Federação e quebrar os pára-brisas do caminhão de som e dos veículos da “Caravana da NR”.

Houve um principio de tumulto e muito bate-boca devido aos insultos e provocações dirigidos pelos seguranças da Big Frango contra sindicalistas e alguns trabalhadores que assistiam incrédulos a situação que durou quase uma hora até que uma viatura da polícia rodoviária federal apareceu ao local.

A Big Frango é famosa na região por tomar atitudes anti-sindicais e tratar os trabalhadores e trabalhadoras do jeito que bem quiser, desrespeitando para isso toda a legislação trabalhista e acordos coletivos firmados com o sindicato local. Ela, inclusive, já chegou a se apropriar dos descontos sindicais feitos nos salários dos funcionários e não repassar ao sindicato numa tentativa de enfraquecer a entidade e assim mantê-la refém dos seus interesses.

Com a chegada da polícia rodoviária federal a empresa foi obrigada a desbloquear a via pública que fica sobre um cruzamento sobre a linha férrea. O que poderia ter causado graves acidentes caso algum comboio ferroviário passasse pelo local. Uma amostra de como essa empresa desrespeita não só os seus funcionários como também a população que reside na localidade uma vez que esse é o único acesso que liga o bairro à rodovia que leva ao centro da cidade.

Com a via pública desbloqueada os dirigentes sindicais puderam, enfim, distribuir o jornal da RN e conversar com os trabalhadores e trabalhadoras que aproveitaram para fazer várias denúncias contra a empresa por maus tratos, assédio moral, assédio sexual e até ameaças de agressão.

Para o presidente da FTIA PR, Ernane Garcia Ferreira, isso vem demonstrar o quanto a aprovação dessa NR dos frigoríficos se faz urgente. “Não podemos aceitar que as empresas tratem os trabalhadores como gado e façam da lei letra morta. Vamos encaminhar todas as denúncias recebidas hoje ao Ministério Público do Trabalho e tomar outras medidas que acharmos necessárias. Isso não pode ficar impune”, declarou Ernane.

A Caravana da RN dos Frigoríficos prosseguira com o seu roteiro de viagem visitando empresas nas principais cidades do estado indo terminar o seu percurso em Curitiba.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

CONTRA AS DOENÇAS E OS ACIDENTES DE TRABALHO NOS FRIGORÍFICOS



Federação inicia por Jacarezinho campanha estadual pela aprovação da NR dos Frigoríficos


A primeira empresa frigorífica a ser visita pela Caravana da NR foi a Seara Alimentos, do Grupo Marfrig.


Rui Amaro Gil Marques
Assessoria de Comunicação da FTIA PR e sindicatos filiados.


A Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação do Paraná (FTIA PR)-CUT e diretores dos seus cerca de 17 sindicatos do setor filiados iniciaram nesta segunda-feira (26) em Jacarezinho a “Caravana da NR dos Frigoríficos”.

20 veículo pequenos, um caminhão Mercedes-Benz 1518 equipado com aparelhagem de som de última geração e 35 dirigentes sindicais vão percorrer todos as empresas frigoríficas do estado distribuindo material a respeito da importância sobre a aprovação pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) da Norma Regulamentadora (NR) que vai por um pouco de ordem nas empresas do setor em todo o Brasil.

A Caravana pretende visitar os municípios de Arapongas, Rolândia, Cianorte, Umuarama, Cambira, Apucarana, Castro, Carambeí, Ponta Grossa e terminar a distribuição dos informativos em Curitiba. Segundo Ernane Garcia, presidente da FTIA PR, “esse material será distribuído nas indústrias frigoríficas e também no comércio de cada cidade para alertar a sociedade para o drama sofrido pelos trabalhadores do setor”.

As estatísticas impressionam.

De acordo com o Ministério da Previdência Social, um funcionário de um frigorífico tem três vezes mais chances de sofrer um traumatismo de cabeça ou de abdômen do que o empregado de qualquer outro segmento econômico. Já o risco de uma pessoa de uma linha de desossa de frango desenvolver uma tendinite, por exemplo, é 743% superior ao de que qualquer outro trabalhador. E os problemas não são apenas físicos. O índice de depressão entre os funcionários de frigoríficos de aves é três vezes maior que o da média de toda a população economicamente ativa do Brasil.


Uma NR para tentar solucionar o problema

Com a aprovação da NR dos Frigoríficos pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e Presidência da República, os milhares de trabalhadores e trabalhadoras do setor terão uma arma a mais para combater os abusos, as péssimas condições de trabalho, as jornadas exaustivas e, consequentemente, reduzir os acidentes e as doenças hoje tão comuns nessas indústrias.

Essa NR (Norma Regulamentadora) será uma conquista dos trabalhadores e dos seus sindicatos do ramo da Alimentação filiados à CONTAC e a Central Única dos Trabalhadores. A nossa luta não está sendo fácil, pois os interesses patronais fazem muita pressão para que a NR a ser aprovada não garanta os avanços na defesa da saúde dos trabalhadores.

A NR vai impor limites aos patrões ditando o que poderá ser feito dentro das empresas para manter a produção. Ela será essencial para conseguirmos fiscalizar os locais de trabalho e proteger a saúde dos trabalhadores.


Consulta Pública

O texto da NR dos Frigoríficos está sendo submetido à Consulta Pública, onde todos os interessados podem participar dando sugestões.

De acordo a Portaria Nº 273 de 16/08/2011 a proposta da NR ficará à disposição de todos para Consulta Pública durante 60 dias, ou seja, até o dia 16 de outubro. Procure o seu sindicato e se informe como participar dessa discussão.

Você também pode obter mais informações no site da FTIA PR (www.ftiapr.org.br) e da CONTAC (www.contacbrasil.org.br)


Principais pontos da NR

A Norma Regulamentadora dos Frigoríficos deve contemplar três questões fundamentais para enfrentar a epidemia de lesões e mutilações que vem abatendo, literalmente, os trabalhadores nas indústrias frigoríficas:
a) - Pausas de 10 minutos para repouso a cada 50 minutos de trabalho;
b) - Redução do tempo de exposição do trabalhador à atividade para 36 horas semanais;
C)-Fiscalização pelos sindicatos do cumprimento da NR.

UM TEXTO SOBRE O PODER DO VOTO E DAS ELEIÇÕES.

A ideologia alienante do “poder” de mudança do voto

A esquerda na sua guinada à institucionalidade capitalista fortaleceu o sistema contra as rebeliões populares.

Coletivo de Ação Direta Comunistas No Brasil ADC

Vamos aqui tentar fazer uma breve análise sobre o tão proclamado e aclamado poder de realizar mudanças que todos os partidos da direita à esquerda afirmam ter a tal principal “arma” dos eleitores, o voto. Na década de 60 as forças reacionárias deram um golpe de estado militar-fascista no Brasil derrubando um presidente eleito nos termos da própria constituição burguesa da época. Passados quase 30 anos de uma feroz ditadura, depois de muitas lutas o povo recuperou o seu “sagrado” direito de votar e mudar os governantes.

Prestem atenção. O povo recuperou o seu direito de votar para escolher novos ou manter velhos governantes em seus cargos administrativos e parlamentares. O povo não recuperou o seu direito a mudar o sistema através do voto até porque o sistema jamais será mudado ou transformado por essa via simplista.

Recuperado esse direito de votar para elegermos prefeitos, governadores, vereadores, presidentes da República, deputados e senadores o sistema capitalista continua por aí dando as suas cartas e mantendo a exploração e a marginalização de um enorme contingente de pessoas, eleitoras inclusive.

Mas qual é o debate realizado antes e durante essas eleições onde somos chamados a praticar a democracia e a cidadania? A resposta é que não existem debates. O que temos são estratégias de marketing que transformam os candidatos e seus partidos em sabonetes, papel higiênico, amaciantes, salvadores da pátria e galãs de cinema. Debates sérios mesmo não existem porque não existem diferenças entre os partidos políticos e seus candidatos. O único objetivo claro e concreto nas eleições é o de chagar aos governos, parlamentos e cargos do estado para desta forma ganhar dinheiro e gerenciar os interesses dos ricos e, assim, ganhar mais dinheiro. Daí a corrupção que assola e envolve todos os tipos de governos, partidos e empresários daqui e de fora.

A cada eleição ao invés de trazer mudanças nesse esquema o voto apenas fortalece as amarras que mantém a maioria iludida com uma democracia que mantém os pobres mais pobres e os ricos sempre mais ricos. O poder de mudança do voto e das eleições termina onde começa o capitalismo, ou seja, ele acaba quando esbarra nos interesses de classe dos capitalistas e dos parasitas que gerenciam seus negócios através das instituições de estado, através dos partidos políticos.

Raciocinem. Estamos com quase 10 anos de um governo que se diz de esquerda. Um governo formado pelo PT e o PC do B em conluio com o que de pior existe na politicalha brasileira. E o que mudou de fato no sistema capitalista brasileiro? Onde está a reforma agrária para acabar com a violência no campo, destruir o poder do latifúndio e gerar mais empregos e renda nas zonas rurais? Pois bem, esse governo de esquerda que foi eleito e reeleito com o poder do voto de milhões de brasileiros não consegue romper com o poder do latifúndio e fazer ao menos um simulacro de reforma agrária. Onde está o poder do voto afinal de contas?

A verdade é que essa democracia não passa de um teatrinho para manter a maioria da população, dos trabalhadores e da juventude iludida, anestesiada e alienada do seu próprio poder. O único poder capaz de mudar as coisas de verdade é o poder da rebeldia, da revolta e das ruas. Enquanto continuarmos nos fiando nessa lengalenga toda a respeito do poder do voto continuaremos sendo manipulados, enganados, explorados, roubados, violados, marginalizados e oprimidos pelos parasitas que nos governam.

Esta é a verdade. Mas para aqueles que covardemente se contentam com o aumento das migalhas que nos são jogadas dos banquetes desses parasitas o voto melhorou suas vidas miseráveis. Esses jamais saberão o que é ter dignidade de verdade e passarão toda as suas vidas como simples animais de cargas com carroças um pouco melhores, estábulos um pouco mais aconchegantes e um dinheiro a mais no fim do mês para levar sua família para serem roubados nos shopings da vida.

http://daesquerda.blogspot.com

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

CRESCE ATIVIDADE ANARQUISTA NO MÉXICO.

Grupos anarco-comunistas e anarquistas crescem no México

Ataques contra bancos, empresas multinacionais e delegacias de polícia preocupam autoridades mexicanas

ADC Comunistas

O México assiste nos últimos anos o aumento das organizações da esquerda radical, mais especificamente de anarquistas, anarco-comunistas, de comunistas autonomistas e eco-anarquistas. Esse aumento se deve ao crescente descrédito da política institucional junto à juventude, principalmente entre os jovens desempregados das classes baixas. As ações desses grupos estão concentradas nos ataques a bancos, empresas estrangeiras e delegacias de polícia.

Seguindo o exemplo da Grécia que se tornou o reduto europeu do novo movimento anarquista do continente, o México assiste o interesse da juventude e de trabalhadores que se dizem desiludidos com os partidos políticos e com os sindicatos oficiais por essas organizações que preconizam a AÇÃO DIRETA e a INDEPENDÊNCIA DE CLASSE como formas de luta contra o capitalismo e suas instituições.

Já foram registradas atividades desses grupos e movimentos nas cidades de Monterrey, Cidade do México, Toluca, Colima, Guadalajara, San Luis Potosi, Durango, Monterrey, Culiacán, Jalaoa e Oaxaca entre outras de porte médio. As principais organizações são a Frente Anarquista Libertária (FAL), Coletivo de Atividades Anti-capitalistas (CAA) e o Círculo de Ação Direta Bandeira Negra. As autoridades suspeitam que esses grupos estejam atuando em conjunto e trocando informações e experiências com grupos e movimentos dos Estados Unidos, Chile, Argentina, Grécia e Canadá.

Na Grécia, Estados Unidos e Canadá esses grupos se autodenominam de Bite Back, os famosos bandeiras rubro-negras. Por causa da forte crise econômica as autoridades norte-americanas passaram a monitorar as atividades desses grupos tendo alguns inclusive sido cadastrados como organizações de atividades anti-americanas, um passo para serem consideradas como terroristas.

http://www.eluniversal.com.mx/primera/37656.html

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Greve contra novas medidas de austeridade paralisa Atenas


Uma greve geral dos transportes paralisou Atenas nesta quinta-feira, em protesto contra novs medidas de austeridade anunciadas pelo governo socialista.
Uma greve geral dos transportes paralisou Atenas nesta quinta-feira, em protesto contra novs medidas de austeridade anunciadas pelo governo socialista.
REUTERS/Yiorgos Karahalis









Kênya Zanatta

Atenas vive um dia de caos devido a uma greve geral nos transportes em protesto contra as novas medidas de austeridade anunciadas pelo governo nesta quarta-feira. O movimento, que também teve adesão de professores e funcionários municipais, marca o início de uma nova onda de protestos no país. As novas medidas para conter a dívida pública desagradram a população grega, mas foram aprovadas pelos vizinhos europeus.

O tráfego nas ruas da capital grega ficou bastante perturbado com a adesão ao movimento dos taxistas que se opõem a medidas para liberar o setor. Além da paralisação total dos transportes em Atenas, os controladores aéreos gregos pararam de trabalhar por quatro horas, causando o atraso e a anulação de vários voos.

E este é apenas o início de mais uma onda de protestos. O setor público vai parar novamente no dia 5 de outubro e uma greve geral de 24 horas já foi convocada para o dia 19 de outubro.

Essas manifestações refletem o descontentamento da população grega com as novas medidas de austeridade anunciadas nesta quarta-feira.

Os aposentados que ganham mais de € 1200 - cerca de R$ 3 mil - por mês vão ter sua pensão reduzida. Para aumentar a arrecadação, o limite de isenção de imposto de renda foi diminuído. Agora, quem ganha mais de € 5 mil, ou seja, R$ 12.600, por ano também vai ter que pagar imposto. Além disso, até o final do ano 30 mil funcionários públicos serão colocados em desemprego técnico, situação em que o funcionário para de trabalhar mas mantém o vínculo empregatício e uma parte do salário.

O objetivo do governo grego é convencer o Fundo Monetário Internacional, a União Europeia e o Banco Central Europeu a pagar mais uma parcela de € 8 bilhões do empréstimo concedido ao país em maio de 2010. Sem esse valor, a Grécia corre o risco de não conseguir honrar seus compromissos já em outubro.

Após dois anos de recessão, não é só a população que critica a maneira como o governo socialista tem reagido à crise da dívida pública. Empresários e deputados do próprio partido governista duvidam da eficácia dessas reformas.

Em compensação, as novas medidas anunciadas ontem agradaram aos vizinhos europeus. Horst Reichenbach, chefe da delegação da União Europeia encarregada de ajudar Atenas a estabelecer seu plano de contenção das despesas públicas, afirmou nesta quinta-feira que a Grécia mostrou que está decidida a realizar reformas para solucionar a crise.

TAGS: CRISE - DÍVIDA - GRÉCIA - GREVE - UNIÃO EUROPEIA

TODO O APOIO À GREVE DOS PROFESSORES DE MINAS GERAIS.

Brasil De Fato - [Aline Scarso] Próxima assembleia acontecerá no dia 27. Educadores querem o cumprimento da lei federal que determina o piso do magistério. Charge de Carlos Latuff.


Professores da rede estadual de Minas Gerais mais uma vez decidiram manter a greve, que completa 105 dias nesta terça-feira (20). A assembleia, que reuniu educadores no pátio da casa Legislativa do estado de Minas, tomou a decisão de continuar a paralisação por tempo indeterminado até que o governo respeite a lei federal e pague o piso do magistério para a categoria.

Na parte da manhã representantes dos professores se reuniram com o deputado Luiz Humberto Carneiro (PSDB), líder do Governo na ALMG, e demais parlamentares. O deputado reforçou a posição do governo de Antonio Anastasia (PSDB) e disse que só há negociação se a categoria suspender a greve.

Na última sexta-feira (16), o desembargador Roney Oliveira, atendeu a uma ação pública ajuizada pelo Ministério Público do Estado no Tribunal de Justiça de Minas Gerais, e resolveu aplicar uma multa gradativa, com o valor inicial em R$ 20 mil, para enfraquecer o movimento.

Para cada novo dia de paralisação, o desembargador determinou que o Sindicato pague R$ 10 mil a mais que o dia anterior de paralisação, até o máximo de R$ 600 mil.

O Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE) diz tentará anular a decisão do desembargador. Além disso, os professores também querem ter o direito de greve garantido, conforme a lei 7.783.

Uma outra ação já havia sido ajuizada no TJMG no dia 05 de julho por parte do Sindicato, que pedia que ao Tribunal a suspensão do corte de ponto dos grevistas e uma intermediação de audiência de conciliação. O mesmo desembargador Roney Oliveira indeferiu ao pedido. Ao G1, o TJMG disse que não realiza audiências de mediação em segunda instância.

Pelo menos dois professores estão em greve de fome para exigir do governo reabertura das negociações. O técnico em educação Abdon Guimarães e a professora de matemática Marilda de Abreu, que também são membros da direção estadual do Sind-UTE, só consomem água desde a tarde de segunda-feira (19).

A presidenta Dilma Rousseff e o ministro da Educação Fernando Haddad também se reuniram com representantes do Sindicato na última semana e afirmaram que irão mediar as negociações.

Os professores de Minas Gerais com ensino médio recebem R$ 369 por uma jornada de 24 horas. A última proposta do governo de Minas foi de R$ 712. No entanto, a lei 11.738, que é reivindicada pelo movimento, afirma que nenhum professor no país pode receber menos que R$ 1.187,00 por uma jornada de até 40 horas.

GREVE DOS CORREIOS: GOVERNO DO PT VAI CORTAR SALÁRIOS DOS TRABALHADORES EM GREVE.


210911_corrBrasil De Fato - Para ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, greve é direito, mas servidor sem trabalhar não deve receber salário dos dias parados.


Trabalhadores em greve dos Correios permanecerem firmes em seu movimento mesmo com a ameaça de corte de ponto feita pelo ministro das Comunicações, Paulo Bernardo (PT). O ministro determinou ontem (20) ao presidente dos Correios, Wagner Pinheiro, que não pague os dias parados aos grevistas, numa tentativa do governo de enfraquecer a greve que atinge todo o país.

“Greve é um direito, mas ninguém vai receber sem trabalhar”, disse o ministro.

Em protesto à ação de Paulo Bernardo, servidores de Brasília no Distrito Federal realizaram o enterro simbólico de Paulo Bernardo e do presidente dos Correios.

Os trabalhadores reivindicaram ainda a abertura das negociações, que já estavam atravancadas mesmo antes da greve ter sido decretada nacionalmente no último dia 14.

“Não podemos confundir greve com férias. Quem não trabalha não pode ser pago”, reiterou.

De acordo com a Fentect (Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares), os sindicatos devem aprovar moções de repúdio contra Paulo Bernardo, Wagner Pinheiro e o vice-presidente Larry Manoel Medeiros de Almeida, “que estão ameaçando os trabalhadores (as) na tentativa de intimidá-los em pleno exercício de seu direito constitucional, a greve”.

De acordo com a Fentect, a greve conta com o apoio 75% dos trabalhadores de todos os estados e do Distrito Federal, algo em torno de 70 mil funcionários da área administrativa e operacional. Segundo nota dos Correios, entretanto, a paralisação é de 23% dos servidores.

Os trabalhadores reivindicam aumento real de R$ 400, mais a reposição da inflação do IPCA (Índice Nacional de Preços do Consumidor Amplo) que acumula 7,33% em 12 meses. Eles querem também a implantação de um piso de R$ 1.635,00, 6 horas de jornada para atendentes, melhores condições de trabalho e mais contratações, além do aumento do valor do vale cesta básica, que hoje é de R$ 130,00.

Até o momento, o governo ofereceu reajuste de 6,87%, índice abaixo da inflação do IPCA, mais R$ 50 para janeiro de 2012.

Para um delegado sindical da base de São Paulo, que preferiu não se identificar por medo de represálias por parte da empresa, a proposta dos Correios é péssima.

“É tão péssima que o pessoal do administrativo de Brasília, que nunca entrou em greve, começou a entrar. Tomei conhecimento que a agência inteira de Osasco (SP), por exemplo, está em greve, só tem o gestor e a tesoureira que não estão”, afirma.


Segundo ele, o clima entre os trabalhadores é de firmeza e disposição para negociar uma proposta “decente”. “A mídia está falando que estamos sendo inflexíveis, mas a gente não está. Estamos esperando que a empresa faça uma pro

posta decente. Se os Correios não negociar e não propor nada de novo, a greve vai continuar. O pessoal está bem inflamado”, destaca.

210911_pb

Paulo Bernardo (foto): “Não podemos confundir greve com férias. Quem não trabalha não pode ser pago”

GRUPO TORTURA NUNCA MAIS CRITICA A FARSA DA COMISSÃO DA "VERDADE"

Rede Brasil Atual - [Virginia Toledo] Para presidente do Grupo Tortura Nunca Mais, comissão da forma como está vai ser uma mise en scène do governo diante das pressões por investigação


São Paulo - Com inúmeras modificações e cercada por pressão de todos os lados, a Comissão da Verdade pode sair do papel nos próximos meses. Entretanto, para Cecília Coimbra, presidente do Grupo Tortura Nunca Mais, do Rio de Janeiro, caso a comissão seja posta em prática nos moldes como se encontra, será uma "mise en scène" do governo brasileiro. O alvo da encenação, na visão da ativista, seria a comunidade internacional, já que o Brasil vem sofrendo pressões externas para investigar os crimes cometidos por agentes da ditadura de 1964 a 1985.

Segundo ela, é melhor que não se faça nenhuma comissão para o resgate da memória dos crimes da ditadura militar do que fazer da maneira como a que está se delineando. "Somos a favor de uma Comissão da Verdade. Mas uma comissão autônoma e independente do governo e diferente desta que está sendo feita", ressaltou.

A Comissão de Verdade é vista como etapa necessária para resgatar a verdade histórica do período de repressão, com a responsabilização dos agentes que praticaram crimes, considerados de lesa-humanidade ou hediondos, o que os tornaria imprescritíveis. Para Cecília Coimbra, o formato proposto pelo projeto de lei que cria a comissão não permite independência nem autonôma suficientes aos trabalhos, o que comprometeria os objetivos.

REPRESSÃO DO ESTADO A COMUNICAÇÃO LIVRE.

ANATEL está tentando fechar a Rádio Pulga neste momento, sem mandado


Neste momento agentes da ANATEL estão tentando fechar a rádio Pulga sem mandado. A Polícia Federal está indo para o local. O coletivo da rádio Pulga pede o apoio da população do Rio de Janeiro para ir agora ao Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da UFRJ, no Largo São Francisco, para ajudar a impedir mais este atentado ao artigo 5 da Constituição e à democracia do Brasil.

A rádio Pulga existe há mais de 20 anos, sendo uma das rádios livres pioneiras na luta pela liberdade de expressão no Brasil. Durante todos esses anos, vem garantindo o acesso livre, gratuito e sem censura à produção radiofônica, à criatividade artística, ao debate democrático e à integração entre universidade e a população do centro do Rio de Janeiro, ajudando a democratizar a cidade e a universidade.

Apesar de todas estas contribuições, leis e rotinas burocráticas inconstitucionais garantem que hoje no Brasil a comunicação radiofônica seja monopólio de políticos e empresas que visam o poder e o lucro. É o poder e a ganância que agora tenta calar a Pulga.

Acompanhe a situação pelas páginas da Rádio Pulga:

Website: http://pulga.radiolivre.org/
Facebook: http://www.facebook.com/pages/R%C3%A1dio-Pulga/113005032063629?sk=wall
Twitter: http://twitter.com/RadioPulga



contato@renajorp.net

www.twitter.com/renajorp

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

ATO PÚBLICO CONTRA O NEO-NAZISMO

CONVOCATÓRIA


Ato público contra a violência nazi-fascista
em frente ao Fórum de Mogi das Cruzes


28 de setembro de 2011 - 12h00

Fórum de Mogi das Cruzes - AV. CÂNDIDO XAVIER DE ALMEIDA SOUZA, 159


Convidamos todos/as os/as anti-fascistas, libertários/as, e entidades ligadas à luta pelos Direitos Humanos, bem como à luta contra a violência e as práticas intolerantes que atingem grupos como a comunidade LGBT, a população afro descendente, ligados a cultura nordestina, aos povos indígenas, grupos judeus, moradores de rua, e etc, - para que juntos/as possamos construir um ato contra as ações dos grupos nazi-fascistas que cometem tais violências.

No próximo dia 28 de setembro, às 13 horas, será realizado o julgamento de Vinicius Parizzato, o Capeta, membro do grupo intolerante ‘Carecas do ABC’ que está sendo julgado pelo assassinato de um jovem negro e pela agressão a outro jovem que resultou na amputação de seu braço. Os dois jovens foram obrigados a pular de um trem em movimento na estação de Mogi das Cruzes em 2003, sob ameaças de cinco skinheads, que permaneceram em liberdade pelos últimos 8 anos.


Em maio deste ano ocorreu o julgamento de Juliano Aparecido de Freitas, que foi condenado a 24 anos e 6 meses de prisão. Grupos anti-fascistas estiveram presentes em frente ao Fórum, em um ato público de solidariedade às famílias e repúdio às ações intolerantes destes grupos nazi-fascistas.

Os frequentes casos de agressão por parte desses grupos, bem como a reorganização dos mesmos, demonstrada em um ato público em favor do Deputado Federal Jair Bolsonaro em plena avenida Paulista no mês de abril, deixam clara a força que esses grupos vem ganhando e as proporções que essas atrocidades podem tomar caso não pressionemos desde já para que os direitos humanos e o respeito à diversidade sejam garantidos em nosso país e em todo o mundo.

Convocamos este ato para nos solidarizar com a dor dessas famílias que foram vítimas desses atos, bem como convocar os diversos grupos para que juntos/as possamos combater estas práticas intolerantes que vem sendo aceitas e legitimadas pelo descaso do poder público.

É de extrema importância a união dos movimentos sociais e de toda a sociedade no combate a estas práticas, e assim convocamos todos/as aqueles/as que lutam pelo respeito à diversidade, pela liberdade, e contra toda forma de preconceito racial, étnico, de gênero, nacionalidade ou orientação sexual para um ato público em frente ao Fórum de Mogi das Cruzes.

Estamos a disposição para qualquer esclarecimento sobre as práticas e ações destes grupos, acreditando que a denúncia e o diálogo ainda são as melhores formas de combatermos essas ações.


PELA LIBERDADE, RESPEITO E DIVERSIDADE!

CONTRA O RACISMO, A HOMOFOBIA, A XENOFOBIA e a INTOLERÂNCIA!

EM REPÚDIO À VIOLÊNCIA NAZI-FASCISTA DESTES GRUPOS SKINHEADS!


COLETIVO ANARCOPUNK DIVERSIDADE
ANARQUISTAS CONTRA O RACISMO - ACR

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

REFLEXÕES SOBRE A ESCRAVIDÃO MENTAL

A escravidão mental é pior do que a escravidão física porque a escravidão física é explícita e o opressor corre o risco de perder o escravo assim que o ódio no escravo for maior que o medo.


A escravidão mental é pior porque é disfarçada de liberdade, amor ou de fé e o opressor do escravo mental se disfarça de mentor financeiro,mentor intelectual ou mentor espiritual.

Por isso era preciso encontrar um novo método de escravização, porque os escravos estavam se rebelando, logo o ódio tomaria o lugar do medo..e eles são milhões e nós...em menor número.

Além do mais temos os inimigos que querem nosso lugar, um inimigo mais esperto, que age na sombra, que está inflando a massa contra nós, usando palavras chaves: liberdade, igualdade e ..caridade.Se as massas pensassem notariam que a palavra caridade é uma forma de mascarar uma falsa liberdade,porque num mundo de igualdade ninguém precisa de caridade,caridade é uma necessidade de um mundo desigual,isso por si só desmascararia as intenções de nossos inimigos, mas eles são espertos, eles são tão espertos que usam o orgulho e a vaida de à favor deles.

Eles fazem as massas acreditar que são livres,eles acusam seus opositores do que eles fazem,eles se infiltram nas universidades,no judiciário,nas instituições governamentais.Eles escravizam através da cultura,do medo,da divisão,da crença.

Como é difícil para o escravo mental enxergar que é escravo,mesmo lendo ele não entende,vendo ele não enxerga, ouvindo ele não escuta.

É crime a religião, pois aprisiona a mente humana. Deus condena a religião e ama a liberdade, o questionamento.

O maior sonho do opressor moderno é ter um canal de TV, a TV é o chicote do opressor moderno. Existe tecnologia para tornar a TV interativa, mas sabe quando isso vai acontecer??NUNCA!!Seria o fim dos opressores, eles odeiam os rebeldes, os questionadores, os pensadores, os palpiteiros.Eles conseguiram vender a terra aos legítimos donos da terra, eles privatizaram a terra e estão vendendo os pedaços à quem pagar mais.

Eles inventaram o dinheiro e o juro e as massas se tornaram seus escravos.As massas não enxergam que a TERRA foi dada de GRAÇA, que os alimentos a TERRA dá de GRAÇA, que a água a TERRA dá de GRAÇA, mas as massas pagam por algo que foi dado de GRAÇA por Deus, ou criador, ou natureza, como o leitor preferir, o certo é que quem cobra alto pela terra não CRIOU a terra.

O opressor moderno criou o dinheiro para que você=legítimo habitante da terra pague por ela, mas não foram eles que CRIARAM a terra,não poderiam cobrar por algo que pertence à TODOS.Os antigos opressores, unidos com os “mentores” espirituais (papas) doaram terras à seus comparsas,e seguem hoje escravizando as mentes fracas se dizendo representantes de Deus na terra.

Eles vão usar todas as estratégias de dominação para continuar te vampirizando,eles vão defender a liberdade, o meio ambiente, a família,o amor ao próxim o e ao mesmo tempo vão negar terra ao mesmo próximo que eles juram amar.

Eles vão defender as criancinhas e ao mesmo tempo vão usurpar a inocência de crianças pobres,por isso precisam tanto da pobreza,cultuam tanto a caridade,eles precisam que existam pessoas necessitadas,pra eles posarem de bons samaritanos,se fossem realmente bons samaritanos era só dividir a terra para cada família que não tem terra e as famílias não ficariam sujeitas a situações humilhantes .E se por acaso surgir alguem com o poder de retirar seus previlégios,acusarão seus opositores de bruxaria,matar crianças,roubo,sequestro,crimes e ainda terão a cara de pau de sair às ruas com o slogam "tradição,familia e (muitas..muitas)propriedades.

Por isso eles atacam tanto governos progressistas que fazem algo de positivo para o povo tão judiado. Eles defenderão o meio ambiente nas TVs, mas ao mesmo tempo não produzirão bens duráveis;TVs,refrigerador es,computadores serão feitos para ter vida curta,pra te obrigar à continuar comprando.

Fábricas serão abertas no 3º mundo disfarçadas de investimento ,mas a verdade é que no 3º mundo a mão de obra é barata e eles “comprarão” os governos para que façam vistas grossas ante à responsabilidades dessas mega empresas quanto aos danos ambientais,mas mesmo assim eles irão nas TVs defender o ambientalismo.

Comprarão espaços nas TVs,cultuando formas de comportamento para que você siga seu modo de agir,de pensar,e seja obrigado à comprar à cada seis meses novas roupas,novos sapatos,novas bolsas.

E o lixo de todo esse consumo??Ah..você pode doar aos carentes..lembra da caridade??Os escravos do ocidente como bons “cristãos” doarão seus velhos computadores às crianças pobres da áfrica, isso é o que opressor te fará pensar, que você um ser caridoso está fazendo um bem à crianças pobres,mas na verdade à © que os escravos do ocidente se livrarão do lixo tóxico embutido em seus computadores doando à crianças mais escravas ainda .
Pois é,a vida é selvagem,porque nos deixamos ser selvagens,somos animais que precisamos consumir,nós só não podemos pensar.

V. Oliveira.
http://anjaoudemonia.blogspot.com/2011_08_01_archive.html

SEDE DO PC CHILENO É ATACADA. MILITANTES SÃO AGREDIDOS.

Declaração sobre o ataque à Sede do Partido Comunista do Chile

ImprimirPDF
imagemCrédito: PCChile

Partido Comunista do Chile

Terça-feira 13 de Setembro de 2011 22:02

O Partido Comunista do Chile emitiu um comunicado para denunciar o ataque à Sede do Comitê Central:

COMUNICADO PÚBLICO:

Um grupo de provocadores de origem duvidosa atacou nesta terça-feira a sede do Comitê Central do Partido Comunista com extrema violência, deixando quatro militantes seriamente feridos, danos consideráveis no local e o roubo de celulares e equipamentos audiovisuais, provocação que encontrou a resistência dos militantes que se encontravam no local.

O grupo que atacou a sede usou paus e gritaram palavras de ordem contra o Partido Comunista. Destruíram as janelas com pedras e entraram violentamente. Um grupo maior que esperava nos arredores atuou para arrebentar a porta de acesso e os vidros da porta interior, além de apedrejar outros vidros do local.

Perante a violência dos assaltantes, devemos afirmar que comunicamos os fatos desde o inicio à central de Carabineiros (polícia chilena) e ao Ministério do Interior. Sempre buscamos evitar situações que atentaram contra a integridade das pessoas.

Uma militante teve que ser engessada e outro militante sofreu uma fratura no nariz. Não obstante, durante nas mais de uma hora que durou a agressão, as forças de segurança públicas não se fizeram presentes. Este ataque não é um fato isolado. Há dois dias a sede do Partido Comunista em Iquique foi atacada, com extrema violência, e há duas semanas ocorreu algo similar em Temuco.

Estes ataques são manobras para dividir o movimento social que luta por Educação digna e querem amedrontar o Partido Comunista em sua ação que abre caminho para as demandas populares.

É claro que o nosso Partido e a nossa Juventude Comunista não se amedrontaram ante estas agressões e continuaremos cumprindo nosso dever revolucionário como força política que, junto a milhões de chilenos e chilenas, abrirá caminho para as profundas transformações que o povo exige.

Comitê Central do Partido Comunista do Chile

Santiago, 12 de setembro de 2011

Fonte: Redglobe/PrensaPopularSolidaria

http://prensapopular-comunistasmiranda.blogspot.com

terça-feira, 13 de setembro de 2011

CAMPANHA NACIONAL PELA SAÚDE DOS TRABALHADORES

Pessoal estamos precisando de ajuda para fazer aprovar uma NR no Ministério do Trabalho em defesa da saúde dos trabalhadores em frigoríficos. Para isso é necessário que enviemos a seguinte mensagem: Chega de mortes nos frigoríficos. A saúde dos trabalhadores não tem preço. NR, já! para os seguintes endereços:peça para seus contatos enviarem a seguinte mensagem para @TrabalhoGovBr no Twitter e por e-mail para normatizacao.sit@mte.gov.br

sábado, 10 de setembro de 2011

A ESQUERDA QUE SE SUBMETE AO IMPERIALISMO


Dilma envia carta à Obama: “Pode contar com o Brasil na luta contra o extremismo”

Depois de apoiar os interesses do Imperialismo no Conselho de Segurança da ONU que autorizou a OTAN a bombardear a Líbia, governo do PT se coloca a disposição dos EUA para combater “extremismo político”.


Coletivo de Ação Direta Comunistas no Brasil ADC


O governo petista social-liberal segue firma em sua política de subserviência aos interesses do imperialismo. Depois de apoiar de forma nada contida a resolução dos EUA, Inglaterra, França e Itália que exigia que os “cidadãos líbios fossem protegidos” pelas bombas da OTAN contra o ditador Muammar Kadafi, o governo brasileiro, através da “presidenta” Dilma, demonstra mais vez a sua subserviência ao imperialismo.

Desta vez Dona Dilma se colocou a disposição de Obama para apóia-lo na luta contra o “extremismo político” e pela “paz mundial”. Todos nós sabemos que para o governo norte-americano todos os movimentos políticos que são contra os seus interesses e a sua rapinagem através do mundo são carimbados como terroristas e extremistas. Os palestinos que lutam bravamente há anos contra a ocupação de suas terras por Israel são considerados extremistas pela Casa Branca assim como o próprio MST aqui no Brasil e a Via Campesina na América Latina.

O imperialismo não faz nenhuma distinção entre os movimentos políticos que atuam pela superação do capitalismo e contra a sua supremacia mundial. Ser contra a democracia do capital cujo EUA são os seus maiores paladinos é o que basta para ser considerado extremista e jogado na categoria de organizações terroristas.

Dilma Roussef não pode ser considerada ingênua a esse respeito e nem tão pouco uma pessoa que desconheça esses fatos. Até anos atrás ela mesma era considerada extremista e militante de organizações terroristas pelo imperialismo. Foi na condição de guerrilheira urbana e militante da VAR-Palmares que Dilma combateu a ditadura militar brasileira que era fortemente apoiada pelos EUA.

Essa posição adotada pela presidente Dilma e o seu governo social liberal só vem confirmar o que todos nós já sabemos: para conseguir uma cadeira de membro permanente no Conselho de Segurança da ONU os governos do PT se colocam na mais servil posição frente ao imperialismo. A ocupação militar brasileira no Haiti é outro exemplo dessa submissão. Não é difícil imaginar o Brasil enviando tropas para a Líbia ou para outras áreas de conflito no mundo para agradar o “grande irmão do norte” numa demonstração de que vale tudo para chegar definitivamente ao Conselho de Segurança da ONU. Para aqueles que sabem ler nas entrelinhas a carta da Dona Dilma foi só mais um “precisou é só mandar. Estamos aqui para obedecer.”

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

MINAS GERAIS: PROFESSORES DECIDEM CONTINUAR EM GREVE NO ESTADO.


Cerca de 9mil trabalhadores e trabalhadoras em educação da rede estadual decidiram, em Assembleia Estadual ocorrida nesta tarde (31/8), no pátio da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), manter a greve por tempo indeterminado. O movimento teve início dia 08 de junho e a categoria reivindica o imediato cumprimento do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN), regulamentado pela Lei Federal 11.738. Após a Assembleia Estadual, os manifestantes seguiram em passeata até a Praça da Liberdade.

Nesta quarta-feira (31.8), pela manhã, houve reunião do Comando Geral de Greve, no auditório do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Minas Gerais (CREA). Também pela manhã, aconteceu a reunião com o Ministério Público Estadual, Governo e Sind-UTE/MG. Participaram além de representantes do Sindicato, as secretárias de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena, de Educação, Ana Lúcia Gazolla e, pela primeira vez, o secretário de Governo, Danilo de Castro, além do procurador de Justiça, Alceu Torres Marques, a coordenadora da Promotoria Estadual de Defesa da Educação, Maria Elmira Dick, os promotores da Promotoria da Infância e Juventude, Maria Lúcia de Santa Gema e Celso Pena.

Na oportunidade, o Governo apresentou proposta de um valor de Piso de R$712, a partir de janeiro de 2012, desconsiderando o tempo de carreira e o grau de escolaridade. A direção estadual do Sind-UTE/MG explica porque não atende. “A proposta nada mais é que o achatamento da carreira, não está aplicada a tabela de vencimento básico vigente e ela contemplaria apenas o professor, excluiria outros categorias de educadores. O Governo não apresentou proposta para os cargos de suporte à docência e, por isso também não cumpre a Lei .”

A direção do Sind-UTE/MG conclama a categoria a continuar mobilizada para fortalecer o movimento, que avalia ser justo, pois trata-se de um cumprimento à Lei Federal. Os trabalhadores vão se organizar e realizar vários atos e manifestações dialogando com a sociedade, divulgando panfletos, além de promover atividades de caça ao governador e manter a articulação com movimentos sociais e entidades sindicais, com objetivo de fortalecer a greve. O Sindicato orienta os designados a não assinar nenhum documento e a permanecerem em greve.

Também hoje, o Ministro da Educação, Fernando Haddad disse apoiar o governo de Minas na contratação de novos professores e descartou a possibilidade de cancelar ou adiar o Enen, diante da situação em Minas Gerais. Sobre a questão, a direção estadual do Sind-UTE/MG mandou um recado ao ministro: “não emita opinião sobre a greve em Minas e cumpra o papel de cobrar dos estados e municípios o cumprimento da Lei Federal 11738/08”.

Nova Assembleia Estadual da categoria está marcada para o dia 8 de setembro. No dia da Independência, 7 de setembro, feriado nacional, os trabalhadores vão participar do Grito dos Excluídos em diversos municípios mineiros.

Mais de 400 mil saem às ruas pedindo justiça social em Israel

Milhares de israelenses se mobilizaram e saíram às ruas centrais de várias cidades exigindo mudanças na política econômica do governo Netanyahu. A maior manifestação ocorreu em Tel Aviv, onde cerca de 300 mil pessoas se reuniram na praça Kikar Hamedida, no centro da cidade. Os manifestantes levavam cartazes e faixas com o slogan “O poder do povo” ou com mensagens para o primeiro ministro “Bibi Netanyahu, vá para casa”, e gritavam consignas como “Queremos justiça social”.

Apesar do recrudescimento da situação em Gaza, milhares de israelenses se mobilizaram neste sábado e saíram às ruas centrais de várias cidades em defesa de reformas no sistema econômico e educacional, de uma mudança na legislação trabalhista e da baixa de custos para adquirir ou alugar uma moradia, produto da política neoliberal do ministro Benjamín Netanyahu.

Segundo os organizadores, mais de 450 mil pessoas participaram dos protestos – número superior as 300 mil que saíram às ruas no mês passado – naquela que foi considerada a maior manifestação da história de Israel por motivos não vinculados ao conflito no Oriente Médio.

Ainda que o cartaz de convocação da manifestação afirmasse, em um jogo de palavras, “Eles só entendem números”, os organizadores insistem que o êxito do protesto não deve ser medido unicamente pelo número de participantes. O ministro da Defesa, Ehud Barak, disse que só 100 mil pessoas participaram dos protestos.

A maior manifestação ocorreu em Tel Aviv, onde cerca de 300 mil pessoas se reuniram na praça Kikar Hamedida, no centro da cidade. Os manifestantes levavam cartazes e faixas com o slogan “O poder do povo” ou com mensagens para o primeiro ministro “Bibi Netanyahu, vá para casa”, e gritavam consignas como “Queremos justiça social”.

Nota Política do PCB ao Grito dos Excluídos.





A Crise Capitalista, Guerras e Ataques aos Trabalhadores(as) em todo o Mundo!


O mundo assiste a mais uma onda da grave crise econômica do capitalismo, que tem elevado o índice de desemprego e endividamento nos países mais desenvolvidos, recrudescendo ações governamentais contra os trabalhadores principalmente com a retirada de direitos sociais, redução e ou privatização dos serviços públicos e ataques aos movimentos sociais rebelados frente a esse cenário.

Grécia, Portugal e Espanha os elos mais fracos da economia da zona do Euro são o melhor exemplo desse processo de acentuação da crise e da ofensiva burguesa contra os trabalhadores. As recentes ondas de violência urbana ocorridas em Londres e cidades operárias e o reflexo da indignação e das contradições de classe que atingem principalmente os jovens e os imigrantes, setores mais discriminados e sem perspectivas de emprego.

Mas a resposta da burguesia às contradições da crise econômica não ficam apenas nisso. Hoje assistimos uma grande ofensiva imperialista, chefiada pela OTAN sob o controle dos EUA e a cumplicidade da ONU contra os povos do Oriente Médio e norte da África, regiões petrolíferas e estratégicas para o controle geopolítico. Utilizando-se ora da ideologia de : “Guerra ao Terror” como foi com as invasões no Iraque e Afeganistão, ora com a da democracia ocidental, as nações imperialistas avançam suas pretensões de dominação nessas regiões, utilizando-se de toda as justificativas e manipulações midiáticas a fim de estabelecer mudanças que possibilitem a formação de um novo patamar de dominação e exploração na região.

Em todo o mundo, assistimos esse fenômeno ocorrer e no Brasil não é diferente. Porém aqui as contradições são mascaradas pela conciliação de classes estabelecida entre entidades de massas (Centrais pelegas e movimentos sociais) que se venderam ao Governo, rebaixando o debate e desarmando o movimento de massas frente a suas tarefas históricas de lutar contra o poder do capital e seus agentes. Apesar de todo o crescimento que a economia brasileira vivenciou nesses últimos anos, a concentração de riqueza e poder e a consecutiva disparidade entre os mais ricos e a pobreza aumentaram sensivelmente, assim como aumento a criminalização sobre os movimentos sociais em luta pelo país, como ocorre hoje com os educadores em Greve em MG e tantas outras categorias.

O PCB (PARTIDO COMUNISTA BRASILEIRO) diante desse quadro de contradições e desafio defende a construção de uma ampla frente anti-imperialista e anticapitalista a fim de organizar e ativar as ações necessárias para construir as condições políticas rumo ao socialismo.

PC DO B ACEITA CONVITE DE GILBERTO KASSAB PARA INTEGRAR SEU GOVERNO EM SP.


Aldo Rabelo (PC do B-SP) e o seu partido se converteram nos maiores defensores da ordem e progresso e dos interesses econômicos do agro-negócio e dos ruralistas brasileiros. Ele foi o relator do texto do novo Código Florestal brasileiro.

Os “comunistas” do PC do B, atualmente convertidos nos mais radicais defensores dos interesses do agro-negócio e dos latifundiários (ver a atuação desse partido na aprovação e votação do novo Código Florestal Brasileiro), aceitaram a proposta do ex-demo-tucano Gilberto Kassab (PSD), atual prefeito da cidade de São Paulo, para fazer parte do seu governo.

O PC do B vai comandar a secretaria municipal responsável pela coordenação das questões relacionadas as obras e eventos da Copa de 2014 na cidade. Kassab e os “comunistas” paulistas se reuniram durante mais de três horas na noite de ontem (06/09) no gabinete do prefeito paulista. Segundo a direção municipal desse partido, que a cada dia se torna mais cômico que comunista, o PC do B a partir de agora vai atuar com mais “ousadia e protagonismo” no estado de São Paulo.

Nós vemos que toda essa “ousadia e protagonismo” do PC do B é na realidade o abandono definitivo das lutas de classes e do marxismo revolucionário por parte dos ex-defensores do estalinismo albanês, atuais baluartes da ordem e do progresso. Os militantes honestos e de luta do PC do B devem estar se corroendo de vergonha de fazerem parte de um partido que se diz de esquerda e comunista, mas que a cada dia, se desvincula das nossas lutas contra os governos e os partidos patronais para se aliar a eles na administração dos interesses do capital.

Isso significa que nas eleições municipais de 2012 o PC do B estará junto com a mais nova criação fisiológica da política burguesa, o PSD do prefeito Gilberto Kassab. Teremos em 2012 no mesmo barco da colaboração de classes PC do B, PT e o PSD demo-tucano. Isso que é política de mudança radical para a cidade de São Paulo. Mais claro que isso agora só o partido mudar definitivamente de nome e de bandeira uma vez que as suas posições ideológicas e políticas o transformaram em Partido Colaboracionista do Brasil.

Sindicatos de Itália e Espanha se mobilizam contra cortes


ROMA — Sindicatos intensificaram uma greve geral na Itália e organizavam manifestações na Espanha nesta terça-feira, como uma forma de protestar contra os esforços dos governos de conter a crise da dívida em dois países cujas economias estão fortemente fragilizadas.

Apesar da greve, o governo do primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, agiu em meio à pressão do mercado e retomou medidas que tinham sido cortadas de seu último pacote de austeridade de 45,5 bilhões de euros.

O governo italiano também informou que irá procurar obter o voto de confiança do Parlamento sobre seu pacote de austeridade para agilizar sua adoção.

Foi anunciado o plano de impor um imposto sobre a riqueza, aumentar os impostos sobre os produtos e introduzir novas reformas previdenciárias em meio a uma greve geral de um dia realizada como protesto contra o pacote de austeridade.

Partes do sistema público de transporte urbano na Itália, que levam a atrações como o Coliseu, em Roma, estavam inoperantes por conta da greve, enquanto milhares de trabalhadores ocuparam as ruas em todo o país.

"Este é um plano que o país não merece", disse Susanna Camusso, chefe do maior sindicato do país CGIL, ao liderar a principal marcha em Roma.

Na Espanha, cuja taxa de desemprego é a maior dos países industrializados, perto dos 21%, sindicatos tomaram as ruas em uma demonstração de força contra uma emenda constitucional que prevê orçamentos equilibrados.

"A reforma da Constituição é o passo anterior para um maior número de cortes", afirmou à AFP Ricardo, um professor de 34 anos, enquanto ao seu redor os manifestantes agitavam pequenas bandeiras com as siglas das duas grandes centrais sindicais.

"Quando uma pessoa está disposta a incluir na Constituição a redução dos gastos públicos, isso já indica algo, vamos em direção a um modelo baseado quase que exclusivamente no setor privado", acrescentou.

Os protestos ocorrem um dia depois de os mercados de ações europeus terem caído fortemente, com baixas superiores a 3% na Espanha e na Itália, em meio ao aumento dos temores de uma recessão. Houve uma tímida alta na manhã desta terça-feira, mas a maior parte dos mercados encerrou o dia em queda.

A Itália anunciou o pacote de austeridade no mês passado, mas sua credibilidade entre os investidores foi minada por muitas mudanças feitas pelo governo nas semanas seguintes.

Depois que Berlusconi reuniu-se com líderes da coalizão, foi anunciado um pacote que incluirá um imposto à riqueza, o aumento do Imposto sobre o Valor Agregado (IVA) e a realização de reformas previdenciárias.

O governo também informou que adotará a regra que prevê equilíbrio orçamentário na quinta-feira, como parte dos esforços do país para ganhar a confiança dos mercados.

Um imposto de 3% sobre as rendas superiores a 500.000 euros foi colocado de volta ao pacote nesta terça-feira, depois que um imposto de 5% tinha sido cortado na semana passada, sob pressão de Berlusconi.

O Imposto sobre Valor Agregado (IVA) subirá um ponto percentual, para 21%, de acordo com um comunicado divulgado depois da reunião da coalizão.

A idade de aposentadoria para as mulheres no setor privado, atualmente em 60 anos, deve subir para 65 anos no início de 2014, em vez de 2016, como planejado anteriormente.

As medidas permitirão que a Itália leve seu orçamento de volta ao equilíbrio em 2013 em vez de 2014.

O Banco Central Europeu (BCE) teve de intervir no mês passado e comprar dezenas de bilhões de títulos da Zona Euro depois que investidores venderam papéis da dívida de Itália e Espanha e levaram os juros a níveis insustentáveis.

Além dos protestos em Roma, mais de 10.000 pessoas participavam de uma manifestação contra os planos de austeridade em Florença, e marchas também ocorriam em Gênova e outras cidades da Itália.

"Estamos à beira do precipício, nós precisamos de um governo responsável", disse Camusso enquanto milhares de trabalhadores marchavam em Roma.

A greve de oito horas causou transtornos no transporte público, com companhias aéreas, trens e ônibus anunciando cancelamentos e atrasos.

A greve também afetava hospital e correios. Escolas não foram atingidas porque é período de férias.

Em um discurso nesta terça-feira, o chefe do Banco Mundial manteve as pressões sobre os governos da Zona Euro para que coloquem suas economias no caminho certo, afirmando que as compras de títulos só dariam algum respiro.

"Estamos chegando em um momento crucial para os líderes europeus", disse Robert Zoellick.

AÇÃO DIRETA

AÇÃO DIRETA
O vermelho é o nosso sangue derramado e o preto o nosso luto por aqueles que tomabaram na luta.

Marcadores