Click na imagem para acessar o site

Click na imagem para acessar o site
click na imagem para acessar o site
"Trabalhadores e trabalhadoras, uni-vos contra a tirania, mas uni-vos sobretudo contra a inércia que se torna coadjuvante da opressão"

Vladimir Maiakovski - operário, poeta e revolucionário soviético.



domingo, 10 de julho de 2011

Forças pró-Kadhafi bombardeiam rebeldes ao sul da capital líbia

10/07/2011 12h06 - Atualizado em 10/07/2011 12h13

Governo tenta desalojar rebeldes de vilarejo a 100km de Trípoli.

A Líbia vive uma guerra civil desde fevereiro deste ano.

Da Reuters

Forças leais ao ditador líbio, Muammar Kadhafi, lançaram um bombardeio pesado contra combatentes rebeldes neste domingo (10) para tentar desalojá-los de um vilarejo que conquistaram, situado cerca de 100 quilômetros ao sul de Trípoli, a capital do país.

A localidade de Al-Qawalish é um estratégico campo de batalha para a investida dos rebeldes rumo à capital. Se eles conseguirem avançar além desse vilarejo chegarão à principal rodovia na parte norte do caminho para Trípoli, a região onde Kadhafi tem sua principal base de apoio.

O comandante rebelde Amignas Shagruni, em Al-Qawalish, disse à agência de notícias Reuters que nas últimas 24 horas forças pró-Kadhafi posicionadas alguns quilômetros a leste lançaram repetidamente bombas contra eles. Mas acrescentou: 'Ninguém ficou ferido, ainda bem.'

Num período de 20 minutos, enquanto a Reuters visitava a linha de frente a leste de Al-Qawalish, pelo menos cinco bombas caíram na área. No entanto, elas não pareciam ter sido disparadas com precisão, pois atingiram aleatoriamente lugares nas colinas próximas.

rebeldes líbios se concentram na região de Gualish, oeste do país (Foto: Marco Longari/AFP)Rebeldes líbios se concentram na região de Gualish, oeste do país (Foto: Marco Longari/AFP)

Shagruni é um dos rebeldes que estavam controlando o último posto de controle dos opositores de Kadhafi antes da linha de frente. Ele disse que a aviação da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), que comanda a coalizão internacional no país, esteve em ação na área e atingiu posições das forças governistas.

'Eles bombardearam apenas uma vez, mas foi muito forte. Atingiram munições ou um míssil Grad porque foi muito forte, até o chão tremeu,' afirmou.

Kadhafi se mantém no poder, apesar dos ataques dos rebeldes e bombardeios aéreos da Otan, sanções econômicas e deserções de integrantes de seu governo.

A Líbia vive uma guerra civil desde fevereiro, quando milhares de pessoas, inspiradas pelas revoluções nos vizinhos Egito e Tunísia, iniciaram uma revolta contra os 41 anos do regime de Kadhafi. Essa rebelião se tornou a mais sangrenta da 'Primavera Árabe' - os levantes populares que se espalharam pela região.


Opinião: Kadhafi permanece no poder porque a maioria da população nas principais cidades e regiões da Líbia lhe são fiéis. O que pode resultar num conflito armado prolongado por parte da OTAN que defende os interesses dos EUA, Inglaterra e França que desejam o controle total do petróleo líbio.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

AÇÃO DIRETA

AÇÃO DIRETA
O vermelho é o nosso sangue derramado e o preto o nosso luto por aqueles que tomabaram na luta.

Marcadores