Click na imagem para acessar o site

Click na imagem para acessar o site
click na imagem para acessar o site
"Trabalhadores e trabalhadoras, uni-vos contra a tirania, mas uni-vos sobretudo contra a inércia que se torna coadjuvante da opressão"

Vladimir Maiakovski - operário, poeta e revolucionário soviético.



sábado, 9 de abril de 2011

FRIGORIFICOS NO BRASIL: DOCUMENTÁRIO "CARNE E OSSO" MOSTRA O DESRESPEITO DO SETOR PELOS DIREITOS HUMANOS.

LUZ, CAMERA, AÇÃO! CARNE E OSSO E MUITO SOFRIMENTO.



É Tudo Verdade! “Carne e Osso” documentário produzido pela Ong Repórter Brasil revela para a sociedade adormecida e alienada o sofrimento dos milhares de trabalhadores e trabalhadoras exploradas nos frigoríficos e avícolas espalhados pelo Brasil.



Rui Amaro Gil Marques

Assessor de Comunicação da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação do Paraná (FTIA).


Coragem é a palavra que pode melhor descrever essa iniciativa da Ong Repórter Brasil e dos produtores Caio Cavachini, Carlos Juliano Barros e de sua equipe de produção composta por Lucas Barreto, André Campos e Mauricio Hashizume que, ao longo dos 65 minutos de duração do documentário Carne e Osso desnudam a realidade do ambiente de trabalho dos frigoríficos e avícolas no Brasil.

Coragem por terem atropelado a mídia com suas denuncias que jamais poderiam ser vistas num Globo Repórter, Fantástico, no SBT, na Record ou em qualquer outra emissora controlada pelas empresas do setor graças as vultuosas somas de dinheiro aplicadas em suas propagandas diárias. Propagandas essas que escondem os vários tipos de sofrimentos que os trabalhadores e trabalhadoras dessas indústrias, “abençoadas” pelo Governo Federal através dos empréstimos do BNDS, diga-se de passagem, são obrigados a passar em troca de uns míseros R$ 720,00 mensais. Mesmo não nomeando as empresas sabemos que a Perdigão, Sadia, Seara Alimentos, Grupo Mafrig e outras tantas do setor de carnes tratam os seus funcionários do mesmo jeito.



Ao assistirmos Carne e Osso percebemos como a realidade da economia é cruel e que como essas indústrias desrespeitam o ser humano para, desta forma, conseguir sempre lucros maiores e abocanhar assim suas fatias do mercado. Para elas as lágrimas derramadas pelas dores causadas pelas longas jornadas de trabalho não interessam. Os acidentes que deixam centenas de homens e mulheres mutilados não interessam. Nem mesmo o sangue derramado por aqueles trabalhadores, que atormentados psicologicamente pela degradação humilhante a que são submetidos pelos encarregados, gerentes de produção e demais carrascos que controlam os seus movimentos, acabam tirando a própria vida, tem algum valor para os proprietários e acionistas dessas verdadeiras fábricas de doenças incuráveis e mazelas sociais.


Um pedaço de frango, de peru, um pernil de suíno ou uma costela de boi depois das imagens de Carne e Osso nunca mais poderão ser vistos como meros atrativos para a gula geral nas churrascarias ou nos almoços de domingo com os amigos e familiares. A degradação, a humilhação, o sofrimento e o desrespeito pela vida humana estão embutidos nesses alimentos como se fizessem parte de sua própria composição orgânica. São o seu DNA e ninguém e nenhuma propaganda por mais tocante e bem bolada que seja poderão esconder tudo isto. Carne e Osso é a verdade gritando nas telas dos cinemas para que providências sejam tomadas e que esses crimes sejam punidos.



Carne e Osso, da Repórter Brasil, vem trazer a sociedade o que os sindicalistas comprometidos com os trabalhadores, com a justiça social e, principalmente com a verdade, denunciam há muito tempo. Sindicalistas esses ameaçados constantemente pelas sempre impunes indústrias frigoríficas e avícolas que controlam políticos, a consciência de um punhado de sindicalistas, de partidos políticos, alguns órgãos governamentais, a mídia, governos municipais, estaduais, o próprio governo Federal e até mesmo setores da justiça. Mas felizmente o documentário Carne e Osso também vem demonstrar que, apesar de tanto poder, essas empresas não conseguem controlar e calar a todos. Ainda existem aqueles que acreditam que a realidade pode e deve ser diferente. E que, graças as lutas dos trabalhadores e das trabalhadoras ela será diferente!


O movimento sindical combativo, esse que não se vende e não se rende aos interesses dessas fábricas de doentes, tem nesse documentário a prova viva de todas as suas denuncias. Cabe agora a toda a sociedade, principalmente aos que pedem o nosso voto a cada eleição, tomar providências para que esse sofrimento todo tenha um fim. Apesar de sabermos de antemão de que lado eles estão não vamos desistir. Afinal, a vida dos milhões de trabalhadores e trabalhadoras envolvidos na produção desses verdadeiros campos de concentração não tem preço. Nós da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação do Paraná (FTIA-CUT) conclamamos a todos os que ainda se importam com a vida e o bem estar das pessoas para engrossarem esta nossa luta. Chega de exploração e de sofrimento no setor frigorífico brasileiro.

Um comentário:

  1. Estamos na espectativa de ver na integra esse documentário, espero que essa realidade cruel existente dentro dos frigorificos brasileiros sofra algumas mudanças, isso precisa acontecer urgentemente os trabalhadores e trabalhadoras estão morrendo.

    ResponderExcluir

AÇÃO DIRETA

AÇÃO DIRETA
O vermelho é o nosso sangue derramado e o preto o nosso luto por aqueles que tomabaram na luta.

Marcadores