Click na imagem para acessar o site

Click na imagem para acessar o site
click na imagem para acessar o site
"Trabalhadores e trabalhadoras, uni-vos contra a tirania, mas uni-vos sobretudo contra a inércia que se torna coadjuvante da opressão"

Vladimir Maiakovski - operário, poeta e revolucionário soviético.



terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

AVEBOM, AVÍCOLA DE JAGUAPITÃ, INTERIOR DO PARANÁ, TEM POSTURA ANTI-SINDICAL


Sindicato e Federação pedem a interferência do Ministério do Trabalho para protocolar documento na Avebom, avícola de Jaguapitã (PR).

Rui Amaro Gil Marques
De Jaguapitã (PR).


Na tarde de ontem, dia 02, representantes do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Jaguapitã (STIAAJ) e da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação do Paraná (FTIA) estiveram em Londrina, onde solicitaram da Gerência Regional do Ministério do Trabalho a companhia de um agente para protocolar na Avebom, em Jaguapitã, ofício solicitando a reabertura das negociações salariais.

O motivo da solicitação foi a negativa da empresa em receber os sindicalistas e protocolar o documento que comunicava sobre o resultado das assembléias realizadas pelo sindicato e Federação com os funcionários da empresa, que recusaram a proposta feita pelo SINDAVES, que é o sindicato patronal.

Cerca de duas horas depois, acompanhados de um agente do Ministério do Trabalho, o presidente do sindicato, Cleyson Ramos Mattos, Ernane Garcia e José Gomes, da Federação (foto acima), conseguiram protocolar o documento junto à emrpesa.

E, conforme informações de funcionários e dos membros do sindicato local (STIAAJ), a empresa também tem adotado uma postura anti-sindical. Ela não recebe nenhum documento da entidade e nem mesmo os dirigentes sindicais para dialogar a respeito dos problemas enfrentados pelos trabalhadores dentro da empresa.

A Avebom tem forçado seus funcionários a se desfiliar do sindicato alegando que a entidade não era o seu representante legal na cidade. Ela também demitiu um funcionário por este ser diretor do sindicato. O que demonstra claramente a postura anti-sindical adotada pela Avebom.

Também são muitas as reclamações de funcionárias a respeito de assédio sexual e moral por parte de encarregados e chefes de turnos. A Federação e o sindicato local (STIAAJ) pretendem levar todas essas denúncias ao Ministério Público para que sejam apuradas e já informaram a Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação (CONTAC-CUT) e a União Internacional dos Trabalhadores no Ramo da Alimentação (UITA) para que a empresa seja denunciada nos fóruns internacionais.

Na cidade a truculência dos proprietários da empresa é conhecida de longa data. Inclusive nas rodas de final de tarde os três sócios da Avebom são chamados de “os coronéis” pelos moradores da cidade.
Foto: Rui Amaro Gil Marques

Um comentário:

  1. ânimo a todos os que lutam, pois não há outro caminho a não ser a resistência contra a neoescravidão.

    ResponderExcluir

AÇÃO DIRETA

AÇÃO DIRETA
O vermelho é o nosso sangue derramado e o preto o nosso luto por aqueles que tomabaram na luta.

Marcadores